Temos visto cada vez mais chatbots no Messenger do Facebook (e outras mídias sociais) . Bom sinal !

Mas, um aspecto tem me chamado a atenção e gerado preocupação. São as “letrinhas miúdas” do termo de aceite de utilização, por exemplo, do Facebook/Messenger que assinamos virtualmente quando damos o “aceito as condições”. Você já leu ?

Diz lá literalmente que você está ciente e aceita que todas as informações que trafegam por lá sejam retidas para uso do Facebook e por mais 9 empresas do grupo do Facebook que passam a ter permissão de utilizar estes dados enquanto desejarem. Inclusive informações de cartões de crédito e transações comerciais que tenham sido feitas por lá. Tudo. Os dados ficarão lá. Na base de dados deles. Parece bom ?


Tudo bem... comprar uma pizza e ser rastreado pelo Facebook é uma coisa. Fazer uma pergunta de esclarecimento de dúvidas para chatbots que são só respondedores de FAQs também não parece ser um grande problema... Mas, e fazer uma negociação de uma dívida com sua financeira ? Consultar seu saldo no banco ? Ou pior, consultar seu extrato do cartão ?

E tem gente pensando nisto. Outros até exigindo que os chatbots que sejam contratados tenham obrigatoriamente suporte para estar dentro do Messenger, mesmo sem saber que algumas aplicações deste tipo de tecnologia não são “sociais”. São corporativas. Empresariais.

Fica então a pergunta : rede social é segura para transações de negócio ? Você não poderia colocar lá um canal de captação de intenções de conversas, mas redirecionar a conversa para um ambiente seguro ? Você quer o Facebook como seu sócio no negócio que está fazendo lá ?

Se as mídias sociais fossem sempre boas para interagir com os clientes, então por que tantos APPs são criados para tarefas que poderiam estar dentro do Messenger ? Até chamar um taxi seria fácil por lá... A resposta é : muitas empresas não querem sócios para a informação que obterão nas conversas com os clientes.

E sua empresa ? só vende pizza ?