Qual é o futuro dos Chatbots

Para compreender melhor sobre o futuro do chatbot é importante conhecer também sobre a sua origem.

A história dos chatbots é antiga, tanto que o primeiro chatbot foi criado em 1966. O ELIZA, criado por Joseph Weizenbaum, podia reconhecer certas palavras e padrões e responder aquilo que era perguntado.

Mas o boom dos chatbots explodiu mesmo no último ano por conta da facilidade de acesso às ferramentas de inteligência artificial e de acesso à grande volume de dados.

A estatística do Gartner é que a Inteligência Artificial alcançará 85% dos relacionamentos com os clientes até 2020.

O CEO da Microsoft Satya Nadella disse recentemente que a comunicação de pessoa-para-pessoa, pessoa-para-assistentes-virtuais e pessoa-para-bots é o que o mundo verá nos próximos anos.


50%
dos usuários mobile nos EUA não instalaram nenhum aplicativo no último ano, mas bilhões de pessoas usaram aplicativos de mensagens. Em 2016 mais de 1.4 bilhões de pessoas usaram aplicativos de mensagens, e até 2019 mais de 25% da população mundial estarão usando aplicativos de mensagens.

Um estudo recente da Juniper Research concluiu que os chatbots reduzirão até 2022 mais de 8 bilhões de dólares por ano.

De acordo com o relatório “Humanity in the Machine” da Mindshare 63% das pessoas considerariam um chatbot para se relacionar com uma empresa ou marca.

37% de todos os clientes e 48% da geração Y estão abertas a receberem orientações e dicas de chatbots, é o que apurou um estudo da DigitasLBi. Ainda segundo o estudo, estas orientações e dicas seriam para produtos (22%), hotéis e acomodações (20%), viagens (18%), produtos de farmácia (12%), e moda e estilo (9%).

Um estudo da McKinsey Global Institute diz que os assistentes virtuais podem responder 40% das questões comuns dos estudantes.

Diante deste cenário, podemos concluir que o futuro dos chatbots é bastante promissor, e se construir um chatbot é algo que você está contemplando para o seu negócio, hoje pode ser o dia.

Mas atenção, a estratégia de adoção é importante, assim como a utilização da ferramenta certa.

Saiba também como será a comunicação com a geração Z.